Publicado por: otaodabiologia | 10/11/2009

Por que acredita-se em aquecimento global?

Após inúmeros artigos lidos, livros revirados e, principalmente,  muita, muita reflexão, ainda me questiono sobre o seguinte fato: se não há algo que prove realmente a existência de um aquecimento global antropogênico, se o clima terrestre sempre foi altamente variável, e se os dados que apontam para um aquecimento da Terra indicam um aquecimento natural devido a saída de uma pequena era do gelo, por que tamanho apelo científico, político e midiático para essa questão?

Sem dúvida, o apelo da mídia é o mais fácilmente compreensível: vende-se muito mais notícias de catástrofes e violência do que notícias pacíficas. E não é de se estranhar, pois cada dia que se passa me parece mais lógico que o povo necessita desse tipo de coisa para viver, é como se sua vida fosse chaquallhada diariamente. Enfim, defina-se como ópio do povo.

midia

Para ser sincero, quando vejo as imagens na TV sobre as alterações climáticas como tornados, enchentes, geleiras derretendo, chego quase a acreditar que o clima está entrando em colapso. Certamente, nenhuma dessas imagens estariam lá caso não existissem, por exemplo, celulares com câmera fotográfica. Acho que ninguém ainda parou para pensar que se um fazendeiro, ou um bóia-fria (nesse caso a diferença não importa, pois é provável que o celular do bóia-fria seja melhor do que o do fazendeiro, embora não possua crédito!), vissem um tornado no interior de Santa Catarina 8 anos atrás, essa notícia não estaria nos notíciários, pois a chance dele ser filmado era realmente muito pequena. Hoje, qualquer pessoa possui um celular com câmera digital, existem milhões de câmeras de segurança espalhadas pelas cidades e, como consequência desse fato, eventos climáticos que sempre ocorreram em lugares isolados agora podem ser filmados e espalhados por todo o planeta em questão de segundos. Quem possui um celular com conexão 3G sabe que não é necessário mais do que 1 minuto para colocar um vídeo ou foto na internet. Os furos de reportagem foram substituídos por aparelhos que custam menos de R$ 500,00 e que muitas vezes são oferecidos gratuitamente.

Por conseguinte, fica fácil entender o apelo político, ou pelo menos de parte dos políticos. Se por um lado a mídia consome as massas, persuadindo-a a crer no caos climático, politicamente é fácil analisar a importância para a manutenção do poder ou ascensão ao mesmo. Hoje, a cor vermelha da antiga bandeira comunista é cada vez mais verde. Não que esse seja o único aspecto a ser levado em consideração sob essa óptica, muito pelo contrário. Existem muitas forças por trás da vontade volátil de salvar o planeta, mesmo porque o planeta está em ótima forma, visto que já passou por inúmeros eventos nos quais, provavelmente, nenhum ser vivo sobreviveria. Se há alguém com problema, certamente esse alguém é o ser humano.

Na verdade, não necessariamente estamos lidando com um comunismo mascarado sob a bandeira ambientalista. Todo e qualquer polítco da atualidade, seja lá qual for sua ideologia, abraça a bandeira verde de modo a se promover, de modo a adquirir o apoio da massa mal informada. Por isso, não é de se estranhar que o apoio à questão ambientalista seja um dos principais pontos das camapnhas políticas de muitos candidatos, principalemnte daqueles que concorrem a presidência.

Cientificamente falando, nunca se viu um volume de recursos financeiros para a área ambiental tão grande para pesquisa científica como se vê agora. Para quem não sabe, pesquisa científica necessita de investimentos altíssimos, haja visto que um freezer que chega a -80ºC, utilizado para preservar amostras biológicas, por exemplo, custa por volta de R$ 80.000,00. Sem recursos, como se poderia, por exemplo, publicar um artigo num periódico online e deixa-lo fullpaper para qualquer usuário, se esse tipo de publicação custa por volta de € 1.000,00? Já tentou imaginar o valor de equipamentos que utlizam tecnologia de ponta? E não se esqueça que sobre esses valores deve-se calcular todos os custos da importação. Que fique aqui registrado: cientistas não são totalmente imparciais.

Deixando-se de lado os interesses da mídia, dos políticos e dos próprios cientistas, o que realmente está acontecendo para que ocorra tamanha mobilização mundial?

Particularmente, acredito que uma questão muito mais importante para a sobrevivência do ser humano esteja por trás de tudo que se ouve falar. Qualquer ser dotado de um cérebro sabe que a economia mundial está baseada na utilização de recursos fósseis não renováveis (petróleo). Entretanto, alguns poucos sabem que esse recurso está em via de extinção. Estimativas afirmam que ainda haverá petróleo para no máximo mais 40 anos. Isso significa que teremos que desenvolver tecnologia para geração de energia em pouquíssimo tempo (acredite: 40 anos é bem pouco tempo para substituir uma fonte de energia mundial de forma completa). Terminando o petróleo, não é somente os combustíveis que irão desaparecer. Tintas, solventes, piche (asfalto), gás de cozinha, plásticos (embora este último já possua substitutos renováveis – descoberta tupiniquim!) e muitos outros irão desaparecer junto.

Se temos apenas (ou menos) de 40 anos para desenvolver novas fontes de energia, como poderíamos fazê-lo? Como convencer os países a investir pesadamente em pesquisa científica e desenvolvimento sem um risco iminente? Obviamente, ao manipular a ignorância da maior parte da população mundial por meio do medo, obtém-se um resultado muito mais rápido e efetivo, pois as pessoas somente mudam seus hábitos quando sentem-se ameaçadas, quando não já sem escolha. Queria ver você tomar banho frio, em pleno inverno, ao acordar, pois não há energia elétrica (isso seria um realidade para países que não possuem uma matriz energética com recuros hídricos). Dentro de alguns anos iremos ver o preço que pagamos por um mentira.

Entretato, existe um lado bom nisso tudo: empregos são gerados, novos produtos são lançados, o mercado de informática avança assustadoramente desenvolvendo processadores de altíssimo desempenho com um consumo de energia nunca imaginado… Enfim, a economia anda majestosamente. Exemplo claro disso é o lançamento do carro Volt, da GM (EUA). O investimento de milhões de dóares em breve terá um retorno gigantesco. Afinal, quem não quer ajudar a “salvar o planeta”?

gm-volt

Este novo carro é capaz de percorrer aproximadamente 64 quilômetros somente com energia elétrica armazenada em uma bateria de íons de lítio. Parece pouco, mas é o suficiente para ir e voltar ao trabalho sem abastecer. Quando a bateria estiver perto do fim, o motor a gasolina é ativado, recarregando-a. Isso permite que o Volt tenha um rendimento equivalente a 97,7 Km/L, o que joga a emissão de CO2 lá  embaixo. Esse novo sonho de consumo estará disponível em 2010 (alguns protótipos já estão rodando nas ruas dos EUA há alguns anos).

Se temos uma grande mentira, vamos aproveitar os frutos positivos dela!

Anúncios

Responses

  1. o aquecimento global é verdade.

  2. Sim de fato é verdade,mas atentemos se há ação antropegênica Lucas .


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: